Capela Mortuária de Barrancos

Equipments Competition | 2019

Capela Mortuária de Barrancos

Equipments Competition | 2019

O PROJECTO | PROJECT
A localização da Casa Mortuária de Barrancos, parece confrontar o termo de Portugal face a uma paisagem abandonada do termo espanhol. Inserido no dorso da cumeada, o Cemitério domina visualmente a paisagem, e o projecto vem encaixar-se como um conjunto de terraços que modelam a encosta inclinada e coberta pela quadrícula dos Olivais. Tomando a plataforma do Adro do Cemitério como referência, os volumes do edifício e dos seus terraços circundantes, vêm completar o lado sul da silhueta do conjunto: rampas, muros, escadas criam as condições espaciais para que a sua presença se torne ‘natural’, como mais um elemento de tão bela paisagem.
Ao longo dos muros brancos do Cemitério, ritmado pelas inflexões e cadencia dos níveis dos seus terraços, uma extensa e longa alameda de ciprestes, cria o acesso à Casa Mortuária. Imaginamo-lo como uma extensa superfície de pedra ladeada por dois alinhamentos de ciprestes, que nos direcciona para o edifício, ao longo dos altos muros e poderosos contrafortes brancos de cal. Os carros vão estacionando lateralmente, as pessoas caminham à sombra do denso ritmo dos escuros ciprestes, observando a paisagem sincopada, preparando-se para uma despedida, ou apenas o reencontro com a sepultura dos que lhe são queridos.
O percurso linear, faz-nos descobrir lentamente o volume branco do edifício, à medida que se torna plano, e a praça que a termina envolvida por muros brancos, remete-nos para a entrada, que nos conduz ao Pátio aberto sobre a imensa Paisagem. O terraço em que se implantam permite-nos caminhar em torno de uma árvore, conduzindo-nos ora às câmaras de vigília, ora à vista contemplativa para poente.
De novo esse terraço, que contem a Cisterna que recolhe toda a água, embora pouca, que aqui do céu se precipita, se desdobra em rampas até ao jardim de oliveiras, que se forma nesta Cerca. Caminhos e alguns bancos, permitem-nos passear e repousar, para de novo aceder através de rampas ou escadas ao estacionamento, ou à Capela. Uma escada em pedra, e a rampa que liga este nível ao do Cemitério, transportam-nos ao Adro e ao Miradouro que o remata a Sul.
Debaixo das árvores do Miradouro, podemos contemplar a paisagem de novo e esperar o funeral que se encaminha para o portão do Cemitério. Este lugar, que nos acolhe em momentos difíceis de despedida, adquire uma dignidade que precisamos sentir no momento em que nos separamos, ou voltamos a visitar quem deixámos para sempre.
PROJECT INFO
Promoter - Câmara Municipal de Barrancos
Architecture - Helena Botelho, Arquitectura
Year - 2019
Location - Barrancos

PROJECT TEAM
Collaborator Architects - Gabriele Paravati, Iacopo Manini, Andreia Verissimo | Landscape Architect - GLOBAL, João Gomes da Silva | Foundations and Structures - Sérgio Mártires
Back to Top